A chave era, afinal, do cofre dela

A chave era, afinal, do cofre dela. Chave dos caprichos. Chave das teimas. Chave do mundo.

Tudo por causa do cofre pequeno com grandes dimensões que continha tudo o que ela tinha levado de mim. Tudo devido à chave que me abria e que me expunha por completo. Aquela chave, minúscula mas poderosa, que ela usou para possuir vários mortais antes de mim. Após arrebatar tudo o que tinha nas minhas posses, ela parte à conquista de cofres de outros homens ingénuos como eu. Achei que o melhor que poderia fazer para reaver o que me ela levou seria retirar-lhe tudo o que era dela, tudo mesmo. Com a faca numa mão e a chave noutra, aprecio o que acabo de fazer. Deixo de parte a arma branca e abro o cofre apressado. Consigo o que quero, mas no cofre ficam também os bens de outros. Não tenho outra missão senão devolver tudo. Este cofre é o que agora mantêm aquela mulher viva!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: